Durão Barroso vai ser presidente não-executivo (ou chairman, que é outra designação ) do Goldman Sachs, bem como consultor deste que é um dos maiores bancos de investimento do mundo, avançou o Expresso.

O ex-presidente da Comissão Europeia e antigo primeiro-ministro português ocupará, então, o cargo de presidente não-executivo a partir ainda deste mês.

No início de maio, Durão Barroso disse que se ia retirar da vida política e que até tinha recebido um convite para trabalhar no setor privado.

Vai assim juntar-se ao ex-ministro José Luís Arnaut que, há dois anos, passou a ser membro do conselho consultivo internacional do banco.