A empresária Isabel dos Santos está interessada em tomar conta da Telecel no Zimbabué, aproveitando o desacordo dos acionistas sobre a permanência de James Makamba à frente dos destinos da empresa, noticia a agência Bloomberg.

De acordo com esta agência financeira, que cita fontes próximas do processo, mas não identificadas, a empresária e filha do Presidente de Angola tem estado a sondar a possibilidade de avançar para a empresa, aproveitando a vontade de vários acionistas de afastarem o atual presidente e fundador da operadora, James Makamba, que alegadamente terá sido colocado no lugar pelo antigo vice-presidente do Zimbabué Joice Mujuru.

De acordo com a Bloomberg, Isabel dos Santos, «considerada a mais rica e poderosa mulher em Angola, já tem interesses em várias operadoras de telecomunicações, principalmente em Portugal e Angola».

Em Portugal, Isabel dos Santos tem quase 7% da Galpenergia, em conjunto com o empresário Américo Amorim, e tem uma posição de controlo na operadora de televisão e comunicações NOS, escreve a agência.

Nas últimas semanas, a empresária angolana tem estado em destaque na imprensa portuguesa pela promoção de uma fusão entre o BPI e o BCP, na mesma altura em que o espanhol CaixaBank tinha lançado uma OPA sobre o BPI.

De acordo com a Bloomberg, o interesse de Isabel dos Santos na Telecel do Zimbabué, um país colocado entre Angola e Moçambique, em África, intensificou-se no seguimento da luta acionista pela destituição do presidente executivo da empresa, James Makamba.

A Telecel no Zimbabué é detida em 60% pela Telecel International, enquanto a Empowerment Corporation, um aglomerado de vários grupos locais, tem os restantes 40%.