O Fundo de Resolução diz que não tem competências para se pronunciar sobre a venda do Banco de Cabo Verde, que pertence ao Novo Banco, apesar de ser o único acionista da instituição liderada por Stock da Cunha.

O Fundo de Resolução bancário emitiu esta segunda-feira um comunicado a esclarecer as suas competências a propósito da alienação do banco detido pelo Novo Banco em Cabo Verde, o que justificou com as “notícias veiculadas na imprensa de hoje, que atribuem ao Fundo de Resolução competência ou poderes para decidir sobre a venda do Banco Internacional de Cabo Verde e, em particular, para proceder à ‘declaração de idoneidade para o exercício da atividade bancária’ por parte dos compradores”.

Segundo a informação divulgada, apesar de ser o Fundo de Resolução ser o acionista único do Novo Banco, o “exercício desse estatuto encontra-se (…) limitado pelas especificidades do regime de resolução”.