A China aprovou um projeto-piloto autorizando a criação de três a cinco bancos privados em 2014 para tentar atrair mais capital privado e externo ao setor bancário, anunciou na segunda-feira o regulador da atividade bancária no país.

«Será introduzido capital privado para reestruturar os bancos atuais ou criar novos (bancos), que assumirão os seus próprios riscos», disse a China Banking Regulatory Comission (CBRC), num comunicado citado pela agência noticiosa oficial chinesa, Xinhua.

A decisão corresponde à abertura do setor financeiro ao investimento privado anunciada em novembro passado pela direção do Partido Comunista Chinês no âmbito de um ambicioso programa para «aprofundar as reformas económicas» e que reconhece o «papel decisivo do mercado».

Os maiores bancos chineses são todos estatais e privilegiam os créditos às grandes empresas estatais.

Entre os dez maiores, há apenas um privado, o Minsheng Banking, fundado em 1996 e cotado desde há três bancos na

Bolsa de Hong Kong.

Pequenas e médias empresas chinesas, que representam já mais de metade do Produto Interno Bruto do país, queixam-se que têm dificuldade em obter financiamentos dos grandes bancos estatais.