O sistema português de prevenção e combate ao branqueamento de capitais e ao financiamento do terrorismo e da proliferação de armas de destruição em massa foi avaliado com nota máxima no plenário do Grupo de Ação Financeira – GAFI/FATF - que se realizou no passado dia 1 de novembro, em Buenos Aires.

Segundo um comunicado do Ministério das Finanças: "o  resultado agora obtido coloca Portugal, a par da Espanha e da Itália, no topo dos sistemas mais eficazes, entre os 16 países do GAFI/FATF já avaliados."

Acrescentando que "a presente avaliação é da maior importância para a credibilidade do sistema financeiro e não financeiro português."

O ministério liderado por Mário Centeno assegura que "o atual governo tem vindo a adotar medidas no sentido de aperfeiçoar o sistema nacional, de modo a dar pleno cumprimento" às recomendações do GAFI-FATF e às diretivas da União Europeia.

É disso exemplo, as proibições da emissão de valores mobiliários ao portador, e da utilização de numerário em transações que envolvam montantes iguais ou superiores a 3 000 euros.