A greve dos motoristas dos Transportes Coletivos do Barreiro registou uma adesão de 75%, disse à Lusa fonte sindical.

«A greve decorreu bem e contabilizámos uma adesão de cerca de 75% dos trabalhadores. Realizámos também um plenário em que o sindicato ficou mandatado para solicitar uma reunião ao conselho de administração dos TCB», disse à Lusa Manuel Oliveira, do Sindicato Nacional dos Motoristas.

O sindicalista explicou que os trabalhadores querem abrir um processo negocial com a administração dos TCB, que são um serviço municipalizado da Câmara do Barreiro, para discutir alguns problemas.

«Vamos aguardar por uma reposta do conselho de administração, mas existe bastante espaço e matéria para discutir. Os trabalhadores analisaram também os malefícios do Orçamento de Estado [OE] para o setor», explicou.

Rui Lopo, vereador da Câmara do Barreiro e membro do concelho de administração dos TCB, disse à Lusa que existe total disponibilidade para conversar com os trabalhadores, referindo que não tinha ainda números exatos da adesão à greve.

A greve nos TCB insere-se na quinzena de luta que os trabalhadores dos transportes e comunicações iniciaram a 25 de outubro e que termina no sábado com uma manifestação nacional, em Lisboa.