As ações da EDP estão a recuperar ao final da manhã desta terça-feira, depois das explicações do presidente da companhia elétrica, em conferência de imprensa. António Mexia falou aos jornalistas depois de ter sido constituído arguido num processo por suspeita de corrupção. 

Ontem, os títulos da EDP chegaram a tombar mais de 4% durante a sessão e fecharam com uma perda superior a 2%. Hoje, abriram também a cair (cerca de 0,5%), mas depois das declarações de Mexia iniciaram uma recuperação. Pelas 11:20, subiam 2,3% para 3.241 euros.

É importantíssimo que as pessoas vejam a inominada incerteza. Os mercados não gostam de incerteza, nós também não".

Palavras de António Mexia, que antes tinha garantido que "não houve claramente nenhum benefício para a EDP" no que toca aos custos para a manutenção do equilíbrio contratual e que as negociações foram feitas entre o Governo e a Comissão Europeia. 

Falando para os jornalistas, quis dirigir-se ao público em geral. "Não houve nenhum benefício e que isso foi confirmado pela Comissão Europeia. Fomos obrigados por lei a fazer ajustamentos (2004) e isso não foi iniciativa da EDP. Em 2007, não foi iniciativa da EDP, cumprimos a lei. Em certas negociaçõs, como em 2004 e eu nem sequer estava cá, a EDP não foi parte", assegurou. Perceba aqui o que se passou. 

Também a EDP Renováveis valoriza em bolsa (0,4% para 6,959 euros), sendo que o seu presidente, João Manso Neto, também foi constituído arguido no mesmo processo.