O governo dos EUA apelou ao grego para que finalize um programa de reformas «que mereça o apoio financeiro dos credores». O anúncio foi feito esta segunda-feira pelo Departamento do Tesouro norte-americano, depois de uma reunião com o ministro das Finanças helénico.

Yanis Varoufakis reuniu-se, em Washington, com o subsecretário do Tesouro encarregado das relações internacionais, Nathan Sheets, depois de, na véspera, se ter reunido com a diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, um dos credores da Grécia.

O dirigente norte-americano apelou para que a Grécia «se envolva plenamente num processo de negociações técnicas com os seus parceiros internacionais, para finalizar um programa de reformas que mereça um apoio financeiro em tempo oportuno da parte dos credores da Grécia», indicou um porta-voz do Tesouro.

Desde há três semanas que várias especulações deixam entender que o executivo de Atenas não vai ser capaz de reembolsar 460 milhões de euros ao FMI, na quinta-feira.

Mas, no domingo, Christine Lagarde e os dirigentes gregos procuraram anular estas especulações, depois de uma reunião em Washington.

«O ministro Varoufakis e eu discutimos os desenvolvimentos em curso e entendemos que uma cooperação efetiva é do interesse de todos», afirmou Lagarde, em comunicado.

Acrescentou também que tinha tido a garantida do ministro grego que «o pagamento devido ao fundo seria efetuado em 09 de abril».

A Grécia encontra-se num processo negocial difícil com os seus parceiros europeus e parece procurar outros apoios.

A visita de Varoufakis a Washington antecede a do primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, a Moscovo.

A Grécia espera que a União Europeia transfira uma última parte de um pacote de assistência financeira, de 7,2 mil milhões de euros, no quadro dos planos de financiamento concedidos pela União Europeia e o FMI, desde 2010, e que já atingiram 240 mil milhões de euros.