O Conselho de Administração (CA) da RTP foi notificado na quinta-feira para se pronunciar sobre as razões da sua destituição, no prazo de 10 dias úteis, disse esta sexta-feira à Lusa fonte da empresa.

«O CA da RTP confirma que foi ontem [quinta-feira] notificado, nos termos previstos na lei, para se pronunciar sobre as alegadas faltas que lhe são imputadas, no prazo de 10 dias úteis», disse mesma a fonte.


Na quinta-feira, fonte oficial da RTP disse à Lusa que a administração, liderada por Alberto da Ponte, não se tinha pronunciado sobre a sua destituição, proposta ao acionista único Estado pelo Conselho Geral Independente (CGI), por desconhecer os seus fundamentos.

Na altura, a mesma fonte tinha adiantdo que não tinha sido ouvida nos termos da lei, «nomeadamente no estatuto do gestor público».

Em comunicado, o CGI explicou que «a razão primeira e central [da proposta de destituição] é a débil qualidade do projeto estratégico para a RTP, por duas vezes apresentado».