O Presidente da República afirmou hoje que a administração da Caixa Geral de Depósitos deve estar em funções dentro de “10 a 12 dias” e que será ela a tratar a questão da reestruturação e dos trabalhadores.

“A informação que tenho é que a administração que vai sair e que escreveu a carta há 15 dias aceitou ficar até hoje, isto é, até haver a substituição. Portanto, já depois da carta aceitou ficar até entrar uma nova administração que eu espero que aconteça nos próximos 10 a 12 dias”, afirmou Marcelo Rebelo de Sousa à margem de uma visita ao Instituto Politécnico de Bragança.

Questionado sobre a questão da Caixa Geral de Depósitos (CGD), a carta de demissão da atual administração e as notícias que apontam para a dispensa de 2.500 trabalhadores, o chefe de Estado referiu que não há “vazio” no banco público, porque “felizmente” a atual administração “aceitou ficar para não haver um buraco, um vazio”.

No entanto, lembrou que quando promulgou o diploma legal sobre a CGD chamou a atenção para demora neste processo.