A inflação homóloga média na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) subiu uma décima em novembro para os 1,4%, devido a uma ligeira subida dos preços da energia e da alimentação.

De acordo com os dados divulgados hoje pela OCDE, excluindo estes fatores mais voláteis, a inflação subjacente nos 34 países da organização manteve-se estável nos 1,7%.

Na zona euro, a inflação homóloga subiu também marginalmente para 0,6% em novembro (face aos 0,5% em outubro), com taxas positivas na Alemanha (0,8%), França e Espanha (0,5%) e Itália (0,1%).

Em Portugal, a inflação homóloga de novembro situou-se nos 0,5%.

Os níveis de inflação mais elevados da OCDE registaram-se na Turquia (8,4%), Brasil (7%), África do Sul (6,9%)e Rússia (5,8%).