A dívida pública voltou a cair em outubro, alcançado agora os 245,3 mil milhões de euros. A descida foi de 3,9 mil milhões de euros relativamente ao final de setembro, segundo dados divulgados pelo Banco de Portugal.

Já nesse mês tinha encolhido para baixo do limiar dos 250 mil milhões de euros, num recuo de 1,2 mil milhões de euros, pelo que a queda de outubro é ainda mais pronunciada.

"Esta variação reflete amortizações líquidas de títulos de 3,5 mil milhões de euros, uma diminuição de empréstimos de 0,9 mil milhões de euros, essencialmente por via do reembolso antecipado de empréstimos ao Fundo Monetário Internacional (1,0 mil milhões de euros), e, em sentido contrário, um aumento de certificados do Tesouro (0,6 mil milhões de euros)", explica o Banco de Portugal.

Acrescenta ainda, na nota de informação estatística que publicou esta segunda-feira, que os ativos em depósitos das administrações públicas diminuíram 5 mil milhões de euros.

Isto quer dizer que "a dívida pública líquida de depósitos das administrações públicas registou, assim, um aumento de 1,1 mil milhões de euros em relação a setembro, totalizando 222,7 mil milhões de euros".