As chuvas de maio e a redução do preço do tomate na indústria estão a preocupar os produtores, que estimam quebras de produção entre os 20 e os 35%, disse hoje fonte do setor à Lusa.

Gonçalo Escudeiro, dirigente da Torriba, organização de produtores de hortofrutícolas, afirmou à agência Lusa que as "más condições climatéricas" que se registaram durante o mês de maio atrasaram em 15 dias o início da campanha do tomate [iniciou-se na segunda-feira], situação que está a deixar os produtores desta fruta "muito preocupados".

"Tivemos chuvas que nos fizeram atrasar a campanha e dificultaram e muito a nossa atividade. Os produtores estimam quebras de produção entre os 20 e os 35%. Uma quebra muito significativa", apontou.