Grécia: perdão ou troca de dívida? Uma questão de palavras