Os comboios regionais são os mais afetados pela greve dos revisores da CP, não tendo circulado qualquer circulação entre as 00:00 e as 10:00 desta quinta-feira, disse à agência Lusa a porta-voz da empresa, Ana Portela.

«Os comboios regionais (Minho, Douro, Algarve, Beira Alta, Beira Baixa) são os mais afetados. Não circulou nenhum», disse a responsável da CP, adiantando que a nível geral circularam apenas 39 composições em 455 programadas.
De acordo com Ana Portela, também os comboios urbanos do Porto e de Lisboa estão a ser muito afetados pela paralisação.

«No Porto circularam cinco em 93 previstos e em Lisboa 16 em 215», disse a porta-voz da CP, adiantando que a empresa está a conseguir realizar quase todos os Alfa Pendular e Intercidades que estavam programados.

Os revisores CP agendaram uma greve de quatro dias (02, 03, 05 e 06 de abril) para reclamar o cumprimento da decisão dos tribunais sobre o pagamento dos complementos nos subsídios desde 1996.

A esta paralisação vem juntar-se a greve ao trabalho em dia feriado convocada pela Federação do Sindicato dos Transportes e Comunicações (FECTRANS) para os dias 03 e 05 (sexta-feira Santa e domingo de Páscoa).

Em declarações à Lusa esta quinta-feira de manhã, o presidente do presidente do Sindicato Ferroviário da Revisão e Comercial Itinerante, Luís Bravo, disse que a adesão à greve dos revisores da CP, para reclamar o cumprimento da decisão dos tribunais relativa ao pagamento dos complementos nos subsídios desde 1996, ronda os 100% nos turnos entre as 23:00 e as 08:00.

Na sequência das greves, a circulação deverá começar a ser afetada, devendo os atrasos e supressões prolongar-se até terça-feira (07 de abril) de manhã.