Três acionistas da PT SGPS propõem alterar o nome da operadora de telecomunicações para PHarol SGPS, numa proposta de alteração dos estatutos da empresa que pretendem debater no final de maio e que foi hoje comunicada ao regulador.

Segundo comunicado hoje à Comissão de Mercado e de Valores Mobiliários (CMVM), os acionistas da PT SGPS são convocados para uma assembleia-geral anual a 29 de maio, às 15:00, em Lisboa, e onde serão debatidas alterações ao estatutos da empresa.

Num outro comunicado, assinado apenas pelos acionistas Novo Banco, RS Holding e Grupo Visabeira, que juntos representam cerca de 25% do capital da PT SGPS, é proposta a modificação do artigo primeiro dos estatutos, sugerindo que a sociedade “adote a denominação de PHarol SGPS”.

De acordo com a página da PT SGPS na Internet, atualizada a 17 de abril, o Novo Banco detém 12,6%, a RS Holding 10,05% e o Grupo Visabeira 2,64% do capital da empresa (e dos direitos de votos).

São ainda acionistas com participação qualificada na PT SGPS a Telemar Norte Leste, com 10% do capital, o Norges Bank com 4,96% e a Morgan Stanley com 3,41%.