O Inspetor-Geral do Trabalho, Pedro Pimenta Braz, quer que a lei permita que os inspetores da Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) possam 'infiltrar-se' e passarem por trabalhadores, noticia a TSF.

A medida seria para implementar nomeadamente em entrevistas de emprego ou recrutamentos ilegais de portugueses para o estrangeiro e serviria para combater vários fenómenos.

À TSF, Pedro Pimenta Braz dá o exemplo do "crescimento exponencial", "todos os dias", que têm tentado combater, das agências privadas, ilegais, de colocação de portugueses no estrangeiro, bem como dos "engajadores individuais".

Basta abrir vários jornais diários "para detetar anúncios claramente fraudulentos", admite o responsável. Contudo, a ACT não consegue fazer nada pois não pode colocar-se no papel de um trabalhador.

O líder da ACT dá outro exemplo: "recentemente surgiu informação de entrevistas de emprego por uma companhia aérea que estaria a recrutar de forma ilegal, mas como não podemos ir às entrevistas não conseguimos fazer nada".

Por isto, Pedro Pimenta Braz admite "frustração".