O primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, disse esta quinta-feira que a transformação da segunda maior economia do mundo está repleta de dificuldades e incertezas, mas assegurou que o país não é uma fonte de incerteza na economia mundial.

"Vai ser uma transição dolorosa e um processo sinuoso", afirmou Li Keqiang, perante uma audiência internacional, no segundo dia do Fórum Económico Mundial 'Summer Davos', em Dalian, importante cidade portuária no nordeste da China.

A liderança chinesa está a encetar uma transição no modelo de crescimento do país, visando maior ênfase no consumo doméstico, em detrimento das exportações e investimento, que asseguraram três décadas de trepidante, mas "insustentável", crescimento económico.