logotipo tvi24

Cipriotas em choque tentam levantar dinheiro dos bancos

Está instalado o pânico por causa das condições do resgate financeiro que penaliza fortemente os depósitos

Por: tvi24 / AR    |   2013-03-17 00:03

Os cipriotas estão e «estado de choque» com o plano de resgate da União Europeia que implica impostos sobre depósitos bancários. Milhares de pessoas acorreram no sábado aos bancos para levantar as poupanças. A população tentou nas sucursais e nos sites dos bancos levantar o dinheiro, mas as contas já estavam bloqueadas desde que a decisão do Eurogrupo foi tomada.

A ajuda dos «27» vai chegar à ilha, mas com um conjunto de condições bem apertadas, entre elas sobre os depósitos: com mais de 100 mil euros pagam um imposto extraordinário de 9,9% e de 6,7% para quantias inferiores. Já as empresas têm a carga fiscal agravada até 12,5%.

O pacote de ajuda, no valor de 10 mil milhões de euros, foi acordado no sábado de madrugada, mas o Parlamento do Chipre só vota o acordo este domingo.

O Chipre pediu ajuda à União Europeia em Junho de 2012 e é o quinto país da Zona Euro a beneficiar de um programa de ajuda internacional.

Partilhar
EM BAIXO: Cipriota tenta levantar dinheiro no multibanco após anúncio do resgate ao país (YANNIS BEHRAKIS/REUTERS)
Cipriota tenta levantar dinheiro no multibanco após anúncio do resgate ao país (YANNIS BEHRAKIS/REUTERS)

Juncker admite erros na crise: «Houve uma falta de justiça social»
Candidato a presidente da Comissão Europeia pretende criar um salário mínimo em todos os países da UE e substituir a troika «por uma estrutura democraticamente mais legítima»
FMI revê em baixa a previsão de crescimento para zona euro
FMI reviu ligeiramente em baixa a sua previsão de crescimento em 2014, de 1,1% para 1%
Renegociação da dívida podia ter ajudado Portugal
A convicção é exposta num artigo elaborado por técnicos do FMI, enviado ao conselho consultivo
EM MANCHETE
BES desconvoca Assembleia Geral de Acionistas
Ações caem mais de 12% após anúncio. Legitimação da equipa de Vítor Bento não está em causa. Banco deve acumular prejuízos de 3 mil milhões de euros
Portugal suspende representação diplomática na Líbia
Diretores de serviço do Garcia de Orta denunciam situações graves