A Comissão Europeia vai apresentar esta terça-feira as regras a aplicar à iniciativa Emprego Jovem, que consta da proposta de orçamento plurianual da União Europeia para 2014-2020, e que tem uma verba associada de seis mil milhões de euros.

Em fevereiro, o presidente do Conselho Europeu, Herman van Rompuy, apresentou uma proposta de orçamento plurianual da União Europeia para o período de 2014 a 2020, que prevê, entre outros aspetos, 6 mil milhões de euros para o emprego jovem (3 mil milhões oriundos do fundo de coesão e outros tantos do Fundo Social Europeu).

Os dados do Instituto do Emprego e Formação Profissional relativamente a janeiro (os últimos disponíveis) revelam que o desemprego entre os jovens subiu 17,7% face a janeiro de 2012, mais do que a subida verificada no segmento dos adultos (15,8%), escreve a Lusa.

O número total de desempregados inscritos nos centros de emprego aumentou 16,1% no primeiro mês deste ano por comparação com o mesmo mês de 2012, atingindo agora os 740.062 desempregados, de acordo com os dados do IEFP, que mostram também uma subida de 4,1% face ao número de inscritos em dezembro do ano passado.

A taxa de desemprego entre os jovens em Portugal continua a subir e chegou no quarto trimestre de 2012 aos 40%, afectando 165 mil pessoas entre os 15 e os 24 anos, segundo o INE. A taxa de desemprego geral pulou para os 16,9%, valor que compara com os 14% apurados no final de 2011 e que representa mais de 923 mil pessoas.

No terceiro trimestre de 2012, a taxa de desemprego sub-25 era de 39%, mas o número de jovens desempregados contabilizados pelo Instituto Nacional de Estatística era superior, alcançando os 175,1 mil.

No trimestre homólogo, a taxa de desemprego entre os jovens era de 35,4%, atingindo 156,3 mil pessoas.

Esta verba destina-se às regiões comunitárias que tenham uma taxa de desemprego jovem superior a 25%, o que também beneficiará Portugal. Van Rompuy considera que o próximo envelope financeiro comunitário deve servir para «ajudar os problemas mais urgentes» e que o desemprego jovem é «o maior desafio» que a Europa está a enfrentar.

Para o presidente do Conselho Europeu, o próximo orçamento comunitário deve fomentar o emprego jovem, funcionando como um «motor» para o crescimento e o emprego, mas deve também ser de moderação, refletindo «os esforços de poupança» dos Estados-membros.

A iniciativa Emprego Jovem integra um orçamento comunitário «mais magro» do que os anteriores, de acordo com Van Rompuy.

«As verbas do próximo orçamento comunitário são da ordem dos 959 mil milhões de euros em compromissos (autorizações) e 908 mil milhões em pagamentos», disse Van Rompuy, na conferência de imprensa de encerramento da cimeira europeia de fevereiro.