O Estado português pagou 18 moradias de luxo no Algarve ao BPN. Para limpar os ativos tóxicos do banco, uma empresa pública comprou várias moradias de luxo e um hotel de quatro estrelas na Quinta do Lago.

O negócio, revelado esta segunda-feira pelo «Correio da Manhã», aconteceu em 2010, quando o fundo de investimento imobiliário do BPN foi transferido para a Parups, empresa pública criada para ficar com os ativos tóxicos do BPN.

Três anos volvidos, por causa da crise económica, o património imobiliário desvalorizou-se e a Parups (e portanto o Estado) está a perder 12,1 milhões de euros.

A Parups está entretanto a tentar vender o património que detém no Algarve para evitar perdas ainda maiores.