Luz: 75 mil já aderiram a campanha da Deco para pagar menos

Associação surpresa com rapidez da adesão

Por: Redação    |   27 de Fevereiro de 2013 às 17:00
A iniciativa da Deco, de convidar os consumidores a juntarem-se para pagar menos na fatura de eletricidade, conta já com 75.692 adesões, sendo que a campanha decorre até 30 de abril, revelou a associação.

Em declarações à agência Lusa, a responsável pelas relações institucionais da associação, Rita Rodrigues, afirmou que a Deco «não tem um objetivo em termos numéricos» num universo de cerca de 3,5 milhões de clientes, e acrescentou estar surpreendida, «não tanto com as adesões, mas sim com a rapidez» com que os consumidores responderam.

A campanha com o mote «juntos pagamos menos», iniciada há dois dias, pretende que os clientes de eletricidade adiram a esta iniciativa, findo o qual a Deco fará um leilão pelo preço mais barato junto dos operadores de mercado como a EDP, Galp, Endesa ou Iberdrola, entre outros.

Após estarem definidos os operadores vencedores por cada tarifário, os consumidores que aderiram à campanha passarão a ter as condições de preço resultantes do leilão que a Deco tem a expetativa de ser mais baixo do que as atuais tarifas oferecidas no mercado livre.

Rita Rodrigues referiu que a rapidez com que estão a aumentar as adesões «não é mais do que o reflexo do que a Deco sempre disse», ou seja que «apesar da liberalização do mercado, as ofertas aos pequenos consumidores não são competitivas».

Questionada se os operadores vão reagir a este leilão com tarifas mais baixas, uma vez que têm afirmado que a margem de desconto em relação ao preço regulado é diminuta, a responsável da Deco afirmou não corroborar dessa opinião porque, de acordo com os cálculos da associação de consumidores «existe a possibilidade de as operadoras irem mais além».

Rita Rodrigues adiantou que os operadores que oferecerem um preço no leilão da Deco têm de descontar o custo pelo esforço de conquista de clientes pela via das ações de marketing.

Na segunda-feira, a disse em comunicado que a intenção desta iniciativa é «responder a uma preocupação crescente dos consumidores relativamente aos custos da eletricidade» e «promover um processo transparente e com provas dadas noutros mercados que visa fomentar a concorrência entre os vários fornecedores do mercado liberalizado».

Esta é uma ação «que visa reduzir a despesa mensal com a eletricidade», adiantou a Deco, mas, «para ter o maior sucesso possível, é essencial» que os consumidores façam a a sua adesão, de forma a que «quantos mais formos, maior o nosso poder de negociação junto dos fornecedores e a pressão para que nos proponham a tarifa mais baixa possível».

O leilão está marcado para 2 de maio e será apurado o vencedor com o preço mais baixo nos vários tarifários.

Após a oferta, a partir de 15 de maio a Deco vai comunicar a todos os consumidores que participaram na ação qual o fornecedor vencedor e quanto poderão poupar com o novo contrato, sendo que só mudam se entenderem.

A Deco refere ainda que poderá vir a receber uma comissão por cada contrato assinado pelos consumidores junto do fornecedor que ganhar o leilão.
PUB
EM BAIXO: Eletricidade
Eletricidade

COMENTÁRIOS

PUB
Grécia: o dia que pode decidir o futuro do projeto europeu

Cerca de 10 milhões de gregos decidem hoje se aceitam ou não as propostas apresentadas pelos credores há mais de uma semana, através de um referendo convocado por Alexis Tsipras. As urnas fecham às 19:00 (17:00 em Lisboa). O caos estendeu-se às sondagens que, espelhando um país dividido, não deixam antecipar nenhum resultado. O boletim tem apenas duas respostas, "Sim" ou "Não", mas o que vai acontecer à Grécia depois do dia de hoje conduz-nos a múltiplos cenários