TVI24

Love You Mom

1

Reportagem de Ana Leal | Imagem de Nuno Quá | Edição de imagem Miguel Freitas

Esta é a investigação TVI, em Inglaterra, sobre as adoções forçadas no Reino Unido, continua. São cada vez mais as crianças retiradas em Inglaterra pelos Serviços Sociais Ingleses. Os números conhecidos e agora divulgados, pelo próprio Governo Britânico, confirmam que existem atualmente cerca de 80 mil crianças à guarda do estado, sendo a maioria entregues a famílias de acolhimento, pagas pelo próprio governo.

A TVI mostra-lhe as provas de um negócio que envolve também agências privadas de adoções, subsidiadas pelo Estado.

Uma teia de cumplicidades e interesses, em que há proprietárias de agências privadas que assinam como assistentes sociais da Autoridade Local.

Uma conivência assumida entre agências, assistentes sociais e tribunais.

2
"Crianças brancas, como as portuguesas, correm mais riscos de serem levadas para adoção"

"Crianças brancas, como as portuguesas, correm mais riscos de serem levadas para adoção"

Ex-deputado inglês John Hemming critica adoções forçadas no Reino Unido.

3
Love You Mom

"Eu estou a sofrer, mas os meus filhos estão a sofrer mais do que eu".

 

Luísa, mãe de dois filhos retirados para adoção

4
Odete ficou sem o filho Lucas e está destroçada

Odete ficou sem o filho Lucas e está destroçada

Depois de ser vítima de violência doméstica durante 11 anos, esta mãe viu o filho ser-lhe retirado pelos serviços sociais ingleses e agora soube que foi encaminhado para adoção.

5

Love you Mom - 4ª Parte

Uma reportagem de Ana Leal.

6
Love You Mom: Marília foi acusada de provocar a morte do filho

Marília foi acusada de provocar a morte do filho

Bebé tinha 21 dias quando morreu. Hospital concluiu que se deveu a um síndroma por o ter sacudido demasiado, uma autópsia pedida pela mãe concluiu que o recém-nascido tinha teve uma convulsão. Por isso ficou sem a filha de quatro anos, que foi dada para adoção de imediato.

7
Ativista luta para travar adoções forçadas no Reino Unido

Ativista luta para travar adoções forçadas

Sabine McNeil dá o exemplo de uma família portuguesa que ficou sem cinco filhos.

8

Jornalista Ana Leal apresenta novos dados da investigação

Câmara oculta colocada dentro de casa onde assistente social vai vigiar mãe e filha confessa meandros do negócio, que está a ser denunciado pelos próprios deputados britânicos e que envolve agências privadas de adoção

9

Repórter TVI - Love You Mom - (parte 3)

Reportagem da jornalista Ana Leal

10

Lucas tinha apenas três anos, quando foi arrancado dos braços da mãe. Kalindi, um ano e cinco meses. Krishna, 12 anos. Neuza, 15 anos.  João, 6 anos. Santiago nove dias. E por aí fora…

São crianças portuguesas, filhos e filhas de mães portuguesas que emigraram para o Reino Unido.

São mães que ficaram sem os seus bebés, sem as suas crianças, sem os seus adolescentes, retirados abruptamente pelos Serviços Sociais Ingleses. Na maior parte dos casos, sem que houvesse sequer prova de maus tratos ou negligência.

Uma investigação do Repórter TVI sobre um negócio de milhões que envolve agências privadas de adoção e famílias de acolhimento que chegam a ganhar, por criança, 700 libras (780 euros) por semana.

11
Lisa Monis, mãe de Lucas e Leonardo

Lisa Monis, mãe de Lucas e Leonardo

12
O pesadelo de Lisa

O pesadelo de Lisa

Tudo começou quando o filho mais velho, Lucas, apareceu com nódoas negras no hospital. Suspeitaram de maus tratos e a criança foi de imediato retirada à família. Tinha sido agredido por crianças numa loja. A versão de Lucas coincide com a da mãe, mas de nada valeu ao juiz. Há 8 meses teve outro filho, Leonardo, e desde então vive vigiada por assistentes sociais numa casa do Estado britânico, em Kent. 

13

O momento em que Lisa Monis tem de entregar o filho bebé

São imagens exclusivas recolhidas em Inglaterra, que mostram o momento em que uma mãe portuguesa de 27 anos se despede do filho-bébe de 8 meses para o entregar aos serviços sociais ingleses. Imagens que fazem parte da reportagem da TVI "Love you mom"

14
Lucy da Costa

Portuguesa indefesa no sistema social inglês

"Tiraram as minhas crianças de mim e deram-me papéis em troca".

Luci da Costa, mãe de Kalinda e Krishner

North Shields, Inglaterra

15
A vida destruída de Luci

A vida destruída de Luci

Luci vivia numa situação de violência doméstica e, com uma ordem de despejo em contagem decrescente, viu a segurança social inglesa retirar-lhe Kalinda, com um ano e cinco meses, e Krishner, de 12 anos. Estávamos em novembro de 2013. Passado pouco tempo, havia candidatos a adotar as suas filhas. Até hoje, não as tem consigo...   

16
Paula Oliveira

Como é que esta mãe conseguiu recuperar os dois filhos?

"Tive de fazer tudo o que eles pediram e estar de acordo com quase tudo o que eles pediram... Muitas vezes, mesmo não estando de acordo. Tive que omitir muita coisa da minha vida, do meu estado psicológico, da minha saúde. Estava tudo em baixo."

Paula Oliveira, mãe de Neusa e João

Cardiff, País de Gales

17
"Tinha medo que ele já não voltasse"

Uma estalada

Durante cinco meses, Paula Oliveira esteve sem os dois filhos, levados pela segurança social. O motivo? O filho mais novo, de apenas seis anos, disse na escola que a mãe lhe tinha dado uma estalada. No mesmo dia, os filhos foram-lhe retirados. Este é o relato da filha mais velha sobre o drama que viveu. 

18

"Estamos a falar de um negócio de milhões"

Repórter TVI, este sábado e domingo no Jornal das 8, sobre mães portuguesas que emigraram para o Reino Unido e ficaram sem os seus bebés, retirados abruptamente pelos serviços sociais ingleses

19

Repórter TVI - Love You Mom

Reportagem da jornalista Ana Leal.

20
Nélia

A cada 15 minutos uma criança é retirada aos pais no Reino Unido.

Para evitar a institucionalização, milhares de crianças são colocadas em famílias de acolhimento, que podem receber até quatro elementos e, por cada um, 600 libras por semana pagas pelo Estado britânico.

Nélia é o exemplo do falhanço do sistema. 

Agências privadas de adoção lideram um processo que gera anualmente muitos milhões.

21
Nélia é exemplo do falhanço do sistema inglês de proteção de menores

Nélia é exemplo do falhanço do sistema inglês de proteção de menores

"Quanto mais crianças tiram para adoção, mais recebem. Isto é um lucro, um negócio de milhões". Teresa Oliveira sabe do que fala. Há cerca de 20 anos rumou a Inglaterra à procura de uma vida melhor. Levou consigo uma afilhada pequenina com a intenção de a tirar da pobreza. Nélia, aos 12 anos, começou a subtrair dinheiro de casa e um estalo no meio de uma discussão sobre isso bastou para que os serviços sociais a retirassem à família. Mas a vida da adolescente degradou-se muito. "Aos 13 anos engravidou de um pedófilo, aos 14 anos de outro", conta Teresa, dizendo que os bebés foram entregues para adoção. Hoje, Nélia vende o corpo na Internet.

22
Portuguesa consegue fugir para Portugal para não ficar sem as filhas

Bebé caiu da cadeira, logo foi retirado à mãe

O bebé de Isabel tinha 5 meses e caiu de uma cadeira. Ficou com um "altinho na cabeça" e foram ao médico. Começava aqui um pesadelo de meses que culminou com uma fuga desta mãe para solo português. 

23
"As nossas vidas pararam" com o "roubo" de Santiago

Onde está Santiago?

Santiago nasceu em casa, mas com apenas nove dias foi levado pelos serviços sociais ingleses. Mal entendidos e uma aspiral de acontecimentos deixaram Iolanda Pequenino e o companheiro sem o bebé há sete meses. Agora, souberam que foi dado para adoção.

24

Repórter TVI: Love You Mom (parte 2)

Perante suspeitas de negligência ou maus tratos, os serviços sociais ingleses parecem mais céleres a retirar as crianças de casa, do que a averiguar a verdade. Reportagem da jornalista Ana Leal, com imagem de Nuno Quá e montagem de Miguel Freitas

25
Londres

Em 2015, cerca de 120 mil famílias tiveram a intervenção dos serviços sociais ingleses. Haverá pelo menos 60 mães portuguesas.

Ana Leal