TVI24

Legionella

1

Um surto de legionella no Hospital São Francisco Xavier, em Lisboa, causou dois mortos e infetou pelo menos 38 pessoas nos últimos dias.

Há três anos, um surto da doença dos legionários em Vila Franca de Xira fez 12 mortos e afetou centenas de pessoas.

Mas, afinal, que doença é esta? Como se transmite e quem é mais vulnerável? Como se previne?

Reunimos neste dossier as principais informações sobre a legionella.

2
Afinal o que é a legionella?

O que é a doença dos legionários?

A doença dos legionários é provocada pela bactéria legionella. Trata-se de uma infeção respiratória bacteriana grave, que causa pneumonias potencialmente mortais.

3
Água

Onde se encontra a legionella?

4

Esta bactéria vive em ambientes aquáticos naturais como lagos, águas termais e tanques.

Mas também pode estar presente em sistemas artificiais de abastecimento e distribuição de água, torres de refrigeração, duches e sistemas de ar condicionado.

É uma bactéria que se multiplica em águas tépidas.

5
Sabe como se transmite a Legionella?

Como se transmite?

A legionella não é transmitida pessoa a pessoa, nem através da ingestão de água contaminada.

É preciso inalar ou aspirar as pequenas gotículas que transportam a bactéria. Ao entrar no sistema respiratório, a bactéria vai alojar-se nos pulmões.

6

Os mais vulneráveis

A doença afeta principalmente indivíduos adultos com mais de 50 anos, mais homens do que mulheres, e principalmente os fumadores.

Entre os fatores de risco para contrair a infeção estão também doenças pulmonares pré-existentes ou doenças respiratórias crónicas.

Raramente atinge pessoas com idade inferior a 20 anos, uma vez que têm um sistema imunitário mais forte.

7
Pulmões

Quais são os sintomas?

8

Os principais sintomas são tosse, febre, dificuldades respiratórias, pontadas torácicas.

Passados alguns dias dos primeiros sintomas, o doente pode ter náuseas, vómitos, dores musculares e dores do peito.

O período de incubação pode chegar aos dez dias.

9
Legionella: o que fazer?

Como se pode prevenir?

Evitar os banhos de duche, de hidromassagem e o jacuzzi é uma das recomendações da Direção-geral da Saúde para prevenir a doença. 

Não entrar em contacto com a água estagnada, por exemplo em casas desabitadas há muito tempo, é outro dos conselhos.

Nas casas com termoacumuladores, a temperatura da água deve ser superior aos 75ºC.

10
Idosos

Os casos em Portugal

11

Pelo menos 64 pessoas morreram por causa da doença dos legionários em Portugal, entre 2005 e 2015. Os dados são do Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC na sigla em inglês).

De acordo com o mesmo organismo, cerca de 1.300 pessoas foram afetadas pela bactéria durante o mesmo período. 

O maior número de casos (557) e de mortos (27) verificou-se em 2014, ano em que um grave surto da doença surgiu em Vila Franca de Xira.

Esse surto afetou centenas de pessoas e 12 morreram devido à infeção.  

12
"Desde que tive a legionella ando meia dúzia de metros e fico logo cansado"

"Desde que tive legionella ando meia dúzia de metros e fico logo cansado"

Foi há três anos que um surto de legionella afetou o concelho de Vila Franca de Xira. O surto teve origem nas torres de refrigeração da empresa Adubos de Portugal.

As vítimas continuam à espera de respostas da justiça.

13
Legionella: Governo quer saber o que se passou no S. Francisco Xavier

Um novo surto que já fez mortos

14

Um novo surto de legionella surgiu na semana passada no Hospital São Francisco Xavier, em Lisboa.

Até ao momento, há 38 casos confirmados e duas vítimas mortais. 

O Governo confirmou que a contaminação começou dentro do hospital e as primeiras análises apontam para que o surto tenha tido origem nas torres de refrigeração do edifício.

15
Legionella: Governo garante que fonte de contaminação surgiu no hospital

Governo assumiu que houve uma "falha técnica"

O ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, assumiu que houve uma "falha técnica".

Foi aberto um inquérito interno no hospital e decorre uma investigação judicial a cargo do Ministério Público, na sequência das duas mortes.

Por: Sofia Santana