Steven Tyler exigiu a Donald Trump que pare de tocar músicas dos Aerosmith em comícios políticos. A exigência surge depois de "Livin’ on the Edge" ter sido tocada num comício em Charleston, na terça-feira. 

Os advogados do vocalista e fundador da banda norte-americana enviaram já uma carta ao presidente dos Estados Unidos a reclamar os direitos de autor da música em causa.

Donald Trump está a criar a impressão falsa de que o nosso cliente o autorizou a usar a música e que até apoia a presidência", alegam os advogados na carta, citada pela CNN. 

O próprio Tyler mostrou a sua indignação no Twitter.

"Isto não tem nada a ver com a rivalidade entre democratas e republicanos. Não deixo que ninguém use as minhas músicas sem a minha autorização. A minha música é para causas e não para campanhas ou comícios. Proteger os direitos de autor é uma causa que defendo ainda antes de esta administração ter chegado ao poder."

Esta não é a primeira vez que o vocalista dos Aerosmith pede a Trump que deixe de usar as músicas da banda. Também a canção "Dream on"  foi usada por Trump na campanha eleitoral em 2015 e também nessa altura houve chatices. 

Apesar de legalmente poder usar a música do Steven Tyler, ele pediu-me para não o fazer. Tenho uma melhor para a substituir! O Steven Tyler teve mais publicidade ao pedir-me para não a usar do que teve em dez anos. Bom para ele", escreveu então o agora presidente dos Estados Unidos no Twitter.