O apelo é claro e direto e espera efeitos imediatos. Organizações internacionais de defesa dos direitos humanos estão a exortar Angola a acabar com a perseguição e detenção arbitrária de imigrantes africanos que tem acontecido nos últimos dias. A International Federation for Human Rights (FIDH)  denuncia o recurso a «tratamentos desumanos e cruéis» para com essas pessoas, por parte das autoridades angolanas.

Segundo as organizações, durante os últimos dias as forças de segurança angolanas iniciaram uma «nova luta» contra a imigração clandestina, cita a Lusa.

Os cidadãos africanos não-angolanos foram violentamente detidos na rua, em suas casas e no trabalho e foram transportados para o centro de detenção em Trinita, a 30 quilómetros de Luanda.

Lá, foram onde são sujeitos a «tratamento cruel e desumano», denuncia a FIDH.

«Condenamos estas violações graves dos direitos dos imigrantes e exortamos as autoridades a por fim a esta violência, a respeitar os instrumentos jurídicos internacionais que Angola ratificou bem como a chamar a atenção dos países de origem da imigração para a gravidade da situação»


É esse o apelo que se pode ler na página da Internet da International Federation for Human Rights.