«Tendo em conta a estrutura amadora da FPF, as coisas correram muito bem a Portugal»: a manchete que Queiroz desmente

Seleccionador aponta o dedo a Gilberto Madaíl

Por: Redacção / CM    |   9 de Julho de 2010 às 00:23
«Tendo em conta a estrutura amadora da FPF, as coisas correram muito bem a Portugal.» A frase é do seleccionador Carlos Queiroz e faz a manchete desta sexta-feira do «Sol».

Em entrevista ao semanário, Carlos Queiroz aponta o dedo a Gilberto Madaíl e revela que só depois das férias decide se mantém a sua equipa técnica.

Actualização: Carlos Queiroz, em declarações à Antena 1 e ao site da FPF, desmente a notícia e diz que as suas declarações foram deturpadas. «Desonestidade, uma vigarice, execrável, de uma baixeza que não tem limites», foi nestes termos que o seleccionador reagiu.

Queiroz desmente semanário Sol

Maisfutebol tentou, entretanto, contactar José António Lima, da direcção do «Sol», bem como o autor da entrevista, mas sem sucesso. Entretanto, o jornalista visado reafirmou, à Antena 1, as declarações de Queiroz e disse ter na sua posse a gravação da conversa.
PUB
Partilhar
EM BAIXO: Carlos Queiroz
Carlos Queiroz

COMENTÁRIOS

PUB
Sócrates: «perigo de fuga é anedota de mau gosto»

Declarações feitas por João Araújo, advogado do ex-primeiro-ministro, em entrevista no Jornal das 8 da TVI. João Araújo considera que a prisão preventiva de José Sócrates deve ser, de imediato, revogada porque «não se verificam casos de excecionalidade que justificam a preventiva». Para o advogado, «o perigo de fuga é uma anedota de mau gosto». João Araújo revelou, ainda, que as suspeitas e indícios de corrupção que pairam sobre José Sócrates referem-se a um período anterior à altura que foi primeiro-ministro.