O “populismo” de Bruno de Carvalho atravessou fronteiras e a prova disso são os diversos artigos que nas últimas semanas tem surgido nos jornais lá fora. Tudo por causa da polémica que surgiu depois do ataque em Alvalade e do escândalo que rebentou no Sporting que agora chega agora ao prestigiado site Politico que escreveu um texto sobre como "um populista" conseguiu chegar ao poder de um clube.

"Eles chamam-me populista, dizem que sou demagogo, que não tenho ética. Vou dizer-vos uma frase que ficou conhecida com o meu tio-avô: "Bardamerda para todos aqueles que não são do Sporting Clube de Portugal"". A frase dita depois da reeleição em março deste ano é uma das que o site - um dos mais influentes do mundo - pega para analisar a dimensão política deste caso. 

Tudo é analisado neste artigo. Os discursos, as explosões, as mensagens divulgadas no Facebook, os comentários ao que Bruno de Carvalho disse. Nada escapa neste artigo que lembra que o presidente leonino "entrou em cena (há cinco anos) com a promessa de tornar o Sporting grande de novo" e que atualmente "o clube está amargamente dividido e enfrenta avisos de falência".

"Atualmente, Bruno de Carvalho está a lutar pela sua sobrevivência no clube durante uma crise que tem dominado as manchetes, nas últimas semanas, nesta terra obcecada por futebol e continua a absorver toda a cobertura mundial apesar de Portugal estar a jogar no Campeonato do Mundo", escreve Paul James, o jornalista que assina o artigo do Politico.

O jornalista vai ainda mais longe e avisa que, caso o presidente do Sporting saia do clube, não o fará de ânimo leve.

"Num país que escapou em grande parte à epidemia global de políticas violentas, a ascensão de De Carvalho - e possível queda - é vista como uma advertência sobre os perigos do populismo.”

Até porque, Bruno de Carvalho foi eleito por duas vezes pelos sócios o que fez com que se tornasse num "presidente fã" e que colocasse o Sporting num lugar difícil que "parece tão longe como nunca de recuperar os seus dias de glória dos meados do século XX".