As urnas para a votação nas eleições para a presidência do Sporting foram dadas como encerradas pelo presidente da Mesa da Assembleia Geral (AG) do clube, Jaime Marta Soares, num ato marcado por uma afluência recorde. O líder da AG anunciou que 22.510 sócios votaram nestas eleições.

O líder da AG surgiu poucos minutos depois das 19:00 no ‘hall’ VIP do Estádio José Alvalade, em Lisboa, onde proclamou o fim do escrutínio que se iniciara às 09:00 da manhã e que vai definir o 43.º presidente da história do clube ‘leonino’.

Correu muito bem. Foi um trabalho extraordinário dos funcionários do Sporting. A contribuição dos delegados foi também muito grande. Estas eleições foram fáceis e isso deve-se a vocês também”, afirmou Jaime Marta Soares, em declarações reproduzidas no canal de televisão do clube.

Estas eleições são as mais participadas de sempre: 22.510 sócios votaram nestas eleições, tendo sido batido o recorde de votação das eleições de março de 2017 (18.775 votantes).

Na quarta atualização da votação aos jornalistas, pelas 17:45, Jaime Marta Soares reiterou que o processo eleitoral estava "a decorrer de forma muito serena, sem registo de situações de conflito”.

Questionado sobre uma eventual aparição do ex-presidente Bruno de Carvalho no Estádio de Alvalade, Marta Soares foi peremptório: "Não estou à espera. Não há razão para vir a Alvalade, porque não pode exercer o direito de voto."

As urnas para a eleição do 43º presidente do Sporting abriram às 09:00, hora em que já estavam milhares de sócios do clube a aguardar na fila, que já circundava o Estádio José Alvalade, e fecharam às 19:00.

Os sócios começaram a chegar pelas primeiras horas da manhã e, às 09:00, no momento em que as se iniciou a votação, a fila continuava a aumentar, pois a cadência de chegada de sócios era constante, apesar da chuva que se fazia sentir.

Esta será a maior operação do género no clube lisboeta, visto que os 51.009 sócios com direito a voto constituem também o número máximo alguma vez alcançado.

A entrada dos sócios foi feita pela porta 1 do Estádio José Alvalade, passando por uma primeira zona de credenciação com 40 mesas. Uma vez devidamente credenciados, os sócios prosseguiram dessa área até ao Hall VIP do estádio, dividindo-se pelo número de votos a que têm direito e que vão desde um a 21 votos. Já no Hall VIP estiveram 50 mesas com voto eletrónico, num processo de votação certificado pela Universidade do Minho.

João Benedito (lista A), José Maria Ricciardi (B), Frederico Varandas (D), Rui Jorge Rego (E), José Dias Ferreira (F) e Fernando Tavares Pereira (G) são os seis pretendentes que se mantiveram até ao fim na corrida, após a desistência de Pedro Madeira Rodrigues (C), derrotado por Bruno de Carvalho em 2017, que se tornou apoiante de Ricciardi.