A Croácia vive um momento raro na história do seu futebol com a chegada às meias-finais do Mundial 2018. Por isso, nenhum croata quer perder "pitada" da participação na Rússia, mas às vezes o dever chama e a obrigação sobrepõe-se aos momentos decisivos e triunfos da seleção.

Num quartel de Bombeiros, em solo croata, os bombeiros estavam reunidos a ver o jogo dos quartos de final com a Rússia, torcendo por um triunfo que igualaria a melhor participação de sempre, alcançada em 1998. O jogo terminou empatado a duas bolas e a decisão foi feita nas grandes penalidades.

Aí os croatas estavam a ser mais fortes e Rakitic, jogador do Barcelona, foi o homem chamado para bater o quinto penálti. Caso marcasse a Croácia alcançava a segunda meia-final da história.

Só que quando Rakitic se preparava para bater, a sirene tocou e, de imediato, todos os bombeiros saíram "disparados" para se prepararem e saírem nos carros para a emergência. Ninguém hesitou perante a sirene, mesmo faltando apenas um penálti que seria batido uns 20 segundos depois.

No quartel ficaram apenas três elementos, que acabaram por festejar sozinhos. Os restantes terão ficado contentes a caminho da emergência.