O português Nelson Évora conquistou hoje a medalha de bronze dos Mundiais de atletismo em pista coberta, em Birmingham, Inglaterra, batendo o recorde nacional ‘indoor’, com 17,40 metros.

Évora, que chegou a liderar a prova, com uma marca que era na altura a melhor do ano, ficou a três centímetros do norte-americano Will Claye (17,43), medalha de prata nas duas últimas edições dos Jogos Olímpicos, e a um do brasileiro Almir dos Santos (17,41).

O atleta do Sporting conquistou a 13.ª medalha para Portugal em Mundiais de pista coberta e a primeira desde 2010, quando Naide Gomes conquistou a prata no salto em comprimento.

Nelson Évora saiu hoje com a sensação de que poderia ter feito melhor do que a medalha de bronze.

"Foi uma competição boa, não me posso queixar. Todos estiveram no seu melhor, foram três centímetros que separaram o ouro do bronze. Por um centímetro se ganha, por um centímetro se perde. Não estou totalmente satisfeito, mas há que aceitar, é assim mesmo o desporto", disse à agência Lusa no final da prova.

O atleta do Sporting promete agora "levantar a cabeça, olhar para a frente e no verão aparecer mais forte ainda para poder responder a este tipo de saltos várias vezes de forma consistente".

Évora apresentou-se em boa forma, com marcas ao nível dos seus saltos de 2008, e à terceira tentativa alcançou a marca de 17,40 metros, bateu o recorde nacional de 17,33 em pista coberta que ele próprio tinha estabelecido há 10 anos atrás, em Karlsruhe.

Mesmo assim, acredita que poderia ter feito melhor.

"Senti-me bem. Estava capaz de fazer saltos bons, [mas] 'o' salto não saiu. Agora é levantar a cabeça. A época continua e é olhar para a época de verão com boas aspirações, porque a época de inverno é uma preparação para a época de verão", vincou.

Este recorde pessoal, considera, é um "bom indicativo do trabalho que se está a desenvolver e daquilo que pode vir a acontecer no futuro", nomeadamente nos Campeonatos Europeus de Atletismo em Berlim.

“[O treinador Ivan Pedroso] Ficou satisfeito, [mas] não ficou 100% satisfeito, como eu. Ele sabe e nós sabemos o que eu podia ter feito aqui hoje", disse.

Quanto ao futuro, o atleta de 33 anos não esconde que tem ambições.

"Nunca foi um segredo, eu quero o meu salto dos 18 metros e é isso que eu ambiciono. Mas antes disso tenho de ser capaz de responder a estes saltos, consolidar saltos acima dos 17,60 ou 17,70 [metros]. E aí sim, vou estar preparado para ir para a frente", garantiu.

Além de ter sido campeão olímpico em 2008, em Pequim, foi bicampeão europeu em pista coberta em 2015 e 2017 e bronze nos mundiais de pista coberta de 2008.

Com esta, o atleta de 33 anos somou cinco presenças em Campeonatos do Mundo de pista coberta, depois da estreia em Budapeste em 2004 (19.º lugar) e participações em Moscovo 2006 (6.º), Valência 2008 (3.º) e Portland 2016 (4.º).

Nélson Évora foi o último dos oito atletas lusos a entrar em competição nos Mundiais que começaram na quinta-feira e decorrem até domingo em Birmingham, no Reino Unido.

 O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, felicitou hoje o atleta Nelson Évora pela medalha de bronze.

Numa mensagem na página na Internet da Presidência da República, "Marcelo Rebelo de Sousa felicita o atleta Nelson Évora pela medalha de bronze conquistada no Campeonato do Mundo de pista coberta que decorre em Birmingham, no Reino Unido".

O chefe do Estado, prossegue a nota, referindo que "depois do título europeu conquistado o ano passado em Belgrado, o resultado de hoje, mais um recorde pessoal, volta a encher de orgulho todos os portugueses".