O responsável pela equipa da Mercedes no Mundial de F1, Toto Wolff,  criticou a FIA por ter revelado o nome de dois dos seus funcionários que colocaram em causa a legalidade do Sistema de Recuperação de Energia (ERS) dos Ferrari.

Lorenzo Sassi e James Allison, estiveram na Ferrari antes de trocarem a equipa de Maranello, pela formação da Mercedes e estão na base das questões levantadas pela Mercedes à FIA por causa do ERS dos carros da equipa italiana.

Questionado pela Reuters sobre se o afetou a atitude da entidade federativa, o director-executivo da equipa da Mercedes na F1 confirmou que: “sim. Um dos meus objetivos é proteger as pessoas que trabalham comigo e se algumas pessoas são citadas num contexto errado é bastante preocupante. Não penso que seja segredo que uma parte da informação veio de um antigo responsável de motores na Ferrari que agora está a trabalhar para a Mercedes”.

Wolff salientou ainda que a FIA é questionada diariamente pelas equipas e que não considera correcto apontar o nome dos pessoas que levantam as questões. “Várias equipas questionam a FIA todos os dias. Por isso penso que não é importante expor as pessoas e vir dizer que determinada pessoa questionou uma eventual ilegalidade. Mas sempre podem dizer que determinada equipa questionou. Isso sim é correto”.