O percurso da 41.ª edição do Rally Dakar, deveria ter sido revelado esta segunda-feira, contudo a inesperada revelação da Ministra dos Desporto do Chile, através do Twitter que o seu país não vai receber a próxima edição do Dakar, devido às medidas de austeridade que afectam o país sul-americano e que a prioridade do país "são as crianças e os idosos" fez com que a organização da prova adiasse a divulgação do percurso.

Com o Chile fora do Dakar 2019, com a Bolívia ainda por confirmar, e a Argentina sem uma posição oficial, o único país que está confirmado para receber a próxima edição da grande maratona sul americana é o Peru.

A alternativa ao Chile pode passar agora pelo Equador já que recentemente o Ministério do Turismo daquele país manifestou publicamente a sua vontade de receber o Dakar, mas até ao momento não foi realizada uma confirmação oficial dessa pretensão.

Esta não é a primeira vez que o Chile decide não participar à última da hora no traçado do Dakar, já que em 2016, abandonou Dakar da mesma forma obrigando a organização a improvisar um novo percurso.

Com esta decisão do Chile a organização do Dakar já anunciou que a abertura das inscrições para a prova sul-americana é adiada.

Nunca antes, desde que deixou o continente africano, o Dakar levou tanto tempo para apresentar o percurso da edição seguinte. Em 2017 a apresentação foi feita no final de março, em 2016 em abril e em 2015 em março. Para além disso, o nome do ditretor desportivo que vai substituir Marc Coma segue em aberto.

Recorde-se que a apresentação Dakar em Portugal terá lugar no próximo dia 25 de maio, em Reguengos de Monsaraz, onde vão estar José Carmona, representante do Dakar em Portugal, e Roméo Gaspar, responsável do Dakar na Europa.