A construtora automóvel sueca Saab, actualmente sob protecção judicial para evitar a falência, vai suprimir 750 empregos para se tornar mais apetecível para um eventual comprador.

«Anunciámos esta manhã aos empregados que íamos suprimir 750 empregos na nossa fábrica de Trollhättan», declarou à agência France Presse, Joe Oliver, um responsável da comunicação da Saab Automobile, empresa que anunciou o mês passado que pretende separar-se da General Motors até o final de 2010.

«É uma medida necessária para melhorar o tesouraria, uma vez que a prioridade da Saab é de reorganizar-se eficientemente para atrair novos investidores», disse, citado pela Lusa.

A medida respeita 650 operários e 100 administrativos, precisou.

A Saab emprega cerca de 4.100 pessoas na Suécia, entre os quais 3.700 em Trollhättan.

A Saab, que recebeu no final de Fevereiro o aval de um tribunal sueco par colocar sob protecção para evitar uma falência, precisa de torna-se independente e procura investidores.

Seis candidatos potenciais, suecos e estrangeiros, dentro e fora do sector automóvel, já se manifestaram, indicou Joe Oliver.