A DECO vai disponibilizar na Internet uma minuta para que os consumidores exijam à Caixa Geral de Depósitos a reposição do dinheiro retirado sem aviso prévio para pagar ajustes na mensalidade do crédito à habitação, afirmou à Lusa Jorge Morgado.

A associação de defesa dos consumidores admite também que o mesmo esteja a ser praticado por outros bancos.

Mais bancos podem ter retirado dinheiro

Deco diz que CGD retirou dinheiro sem aviso

A DECO recebeu já cerca de meia centena de queixas de clientes da Caixa Geral de Depósitos, aos quais foi retirado dinheiro da conta bancária sem aviso prévio para pagamento do crédito à habitação.

Em causa está o pagamento do diferencial do valor nas mensalidades do crédito à habitação no regime bonificado pelo facto das regras de cálculo desse crédito terem sido alteradas.

A situação, considerada ilegal por parte da DECO, criou «situações dramáticas» nalgumas famílias que, de um dia para o outro, viram a sua conta a descoberto, afirmou o secretário-geral da DECO.

A Caixa Geral de Depósitos, ao qual se referem até agora as queixas dos clientes, já afirmou que o dinheiro vai ser reposto nas contas e que serão dadas facilidades de pagamento aos clientes.

«A situação criada pelo automatismo de débito único no montante do diferencial da regularização de bonificações, foi rapidamente resolvida pela Caixa Geral de Depósitos através da reposição dos montantes cobrados», refere o banco estatal em comunicado.

«As formas de liquidação serão agora acordadas individualmente com os clientes facultando até a possibilidade de pagamentos diferenciados sem juros», acrescenta o banco num comunicado sumário.

A cliente da Caixa Geral de Depósitos, Teresa Marques, à qual foi retirada da conta uma verba de 1.600 euros, afirmou à Lusa hoje de manhã que a quantia ainda não foi resposta e que a única proposta que lhe foi comunicada em termos de plano de pagamento foi o aumento do plafond da conta-ordenado.