O ex-secretário de Estado Paulo Campos é um dos cinco nomes que vão entrar na lista de consenso para a Comissão Política Nacional do PS pela quota proposta pela corrente minoritária de Daniel Adrião.

A Comissão Política do PS, que tem 71 efetivos, assim como o Secretariado Nacional (o órgão de direção partidária) são hoje eleitos na primeira reunião da Comissão Nacional após o congresso socialista, que se realizou na Feira Internacional de Lisboa (FIL), de 03 a 05 deste mês.

Daniel Adrião disse à agência Lusa que incluiu na sua quota o ex-secretário de Estado das Obras Públicas dos executivos de José Sócrates, por o seu nome não constar entre as escolhas para a Comissão Política feitas pela maioria afeta ao secretário-geral, António Costa.

Na sua intervenção, no congresso, Daniel Adrião defendeu a liderança do PS de José Sócrates, assim como os resultados dos seus governos.

Além de Daniel Adrião e Paulo Campos, entram pela quota minoritária Cristina Martins, que, em Coimbra, denunciou às autoridades judiciais um caso de fichas falsas de militantes, José Carlos Pereira (Setúbal) e Miguel Corais (Braga).