O crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) da OCDE desacelerou no primeiro trimestre, ao atingir 0,4%, menos uma décima que no trimestre anterior, foi anunciado esta terça-feira.

Comparando com o mesmo trimestre de 2013, o acréscimo do PIB da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico) foi de 2,1%, mais uma décima que o registado nos últimos três meses do ano passado, indicou a organização num comunicado, sublinhando que as variações foram díspares no conjunto dos 34 países membros.

A maior subida registou-se no Japão, com um acréscimo do PIB de 1,5%, mais 1,4 pontos percentuais que no trimestre anterior.

A Alemanha e o Reino Unido registaram a segunda maior subida, de 0,8% e que face ao trimestre anterior representou um acréscimo de quatro décimas no primeiro caso e de uma décima no segundo.

A OCDE sublinha que em França e nos Estados Unidos o crescimento económico estagnou, contra as subidas precedentes do PIB de 0,2% e de 0,7%, enquanto em Itália o PIB se contraiu, registando um decréscimo de 0,1%, contra uma subida de 0,1% no trimestre anterior.

Na zona euro, o crescimento manteve-se estável em 0,2% e no conjunto da União Europeia (UE) desceu uma décima para 0,3%, enquanto os acréscimos no primeiro trimestre deste ano em relação ao mesmo mês de 2013 foram de 0,9% e 1,4%, ou seja mais quatro décimas nas duas regiões.