[ACTUALIZADO ÀS 14H20]

A União Europeia reafirmou em Pequim que o Tibete faz parte de China, indicou o presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, à saída de um encontro com o primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, informa a agência Lusa.

«Confirmei que a União Europeia está vinculada à integridade territorial e à soberania da China e isso aplica-se naturalmente ao Tibete», declarou Durão Barroso, que afirmou, ainda, a necessidade de equilibrar a balança comercial: «Estamos convictos da necessidade de equilibrar a nossa balança comercial».

O presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, manifestou-se contra um eventual boicote aos Jogos Olímpicos de Pequim, no final de um encontro com o primeiro-ministro chinês Wen Jiabao na China: «Os Jogos Olímpicos deverão ser uma celebração da juventude de todo o mundo e devem ser um sucesso. É por isso que sou contra o boicote».

Diálogo com o Dalai Lama

«Eu estou a favor do diálogo com o Dalai Lama», disse Barroso, garantindo que «quanto à questão do Tibete, [respeita] totalmente a integridade territorial e a soberania da China». Barroso referiu também que comunicou esta posição ao primeiro-ministro chinês Wen Jiabao no encontro privado que tiveram na quinta-feira e na reunião oficial.

O presidente da Comissão Europeia declarou depois da reunião com Wen Jiabao que os dois líderes tiveram «uma conversa aberta e franca acerca do Tibete»: «Reafirmei a posição da UE nesta matéria e estou particularmente optimista depois do nosso diálogo acerca do Tibete. Espero ver desenvolvimentos positivos em breve».

Apesar das declarações de Durão Barroso sobre o Tibete, o primeiro-ministro chinês insistiu que as relações entre a UE e a China estão cada vez melhores. «Os interesses comuns entre a UE e a China ultrapassam em muito os nossos problemas e os aspectos em que estamos em desacordo».

«Negoceiam tudo, menos...»

O Presidente da Comissão Europeia disse, ainda, acreditar que a oferta de diálogo entre a China e o Dalai Lama só tem como limite a soberania tibetana, depois da China ter anunciado conversações com o Dalai Lama em breve.

«Tanto quanto percebo da posição chinesa, a China diz que está pronta a discutir tudo excepto a soberania sobre o Tibete», afirmou, acrescentando: «Se as preocupações do Dalai Lama são como ele sempre disse - o respeito pela identidade cultural e religiosa tibetana e a autonomia dentro da China - acredito que existe um verdadeiro espaço para o diálogo».

«Mantive um encontro pessoal com o primeiro-ministro Wen Jiabao e ele explicou-me a posição chinesa», contou Durão Barroso.