Uma Thurman pronunciou-se pela primeira vez sobre as acusações de abuso sexual do produtor Harvey Weinstein. Num post no Instagram, a atriz confirmou que também ela foi vítima de assédio sexual pelo produtor. 

"Sou grata hoje, por estar viva, por todos os que amo e por todos os que têm coragem de defender os outros. Disse que estava chateada recentemente e tenho algumas razões, #metoo, no caso de não terem percebido pela minha cara. Sinto que é importante tirar tempo, ser justo, por isso... Feliz dia de Graças para todos (excepto tu, Harvey e todos os teus conspiradores perversos  - estou grata que esteja a ser lento - não mereces uma bala)", escreveu a atriz.

A hashtag #metoo foi criada para que as vítimas de assédio sexual denunciassem os seus casos. 

Desta forma, a atriz, que foi uma das musas de Weinstein, confirma as suspeitas que tinham surgido em outubro. Numa entrevista, Uma Thurman disse que não falaria por estar zangada.

“Não tenho nenhum ‘soundbite’ cuidado para lhe dar, porque eu aprendi, não sou uma criança. E aprendi que quando falo zangada, normalmente arrependo-me da maneira como me expresso. Portanto, tenho estado à espera de me sentir menos zangada e quando estiver pronta direi o que tenho que dizer”, afirmou a atriz em entrevista ao programa “Access Hollywood”, da NBC.