Burt Reynolds está a gerar controvérsia depois de ter afirmado não ter “pena” de Charlie Sheen, que admitiu ser seropositivo num programa televisivo, em novembro. O ator disse ainda que Charlie Sheen “merece” ter VIH, por causa do seu mau comportamento.

As declarações polémicas foram proferidas durante uma entrevista, esta terça-feira, no programa norte-americano “Loose Women”. A apresentadora perguntou a Burt Reynolds sobre os rumores que circulavam nos anos 80 e que davam conta que estaria a morrer com por causa do vírus. Depois questionou-o sobre a condição de Charlie Sheen, cujo pai é amigo da estrela de cinema.
 

“O pai dele é um homem muito, mas muito, decente e um grande amigo meu. Sinto pena dele. Mas do Charlie não tenho pena, porque ele está a ter aquilo que merece. Se vais comportar-te daquela maneira, então vais apanhá-lo [ao vírus da sida]”.


Os entrevistadores perguntaram-lhe então se não nutria qualquer simpatia pelo estado de Charlie Sheen. Burt Reynolds voltou a dizer que “não”, porque ele “mereceu-o”, pois “portou-se mal, muito mal”.

Muitos espectadores que estavam a assistir ao programa serviram-se das redes sociais para reprovar o que a estrela de Hollywood tinha acabado de afirmar.
 

“Os comentários feitos hoje sobre o estatuto do Charlie Sheen enquanto portador de VIH foram completamente desnecessários. Não é correto alguém ser considerado ‘merecedor’ do VIH ou qualquer outro problema de saúde. Nem é correto que qualquer pessoa condene outra que é seropositiva”, disse Shaun Griffin, da fundação para o VIH Terrence Higgins Trust, ao The Independent.