Uma grande fita, ainda sem fim à vista, continua a rodar entre as ativistas do movimento #MeToo, criado para denunciar casos de assédio sexual na indústria do cinema norte-americano e que já levou o poderoso produtor Harvey Weinstein a enfrentar a justiça. Asia Argento, atriz e principal ativista da organização, vê-se agora confrontada com as acusações feitas pela colega Rose McGowan.

Através de um comunicado, citado pelo jornal espanhol El País, McGowan, que encabeçou o #MeToo ao lado de Asia Argento, diz que "tudo mudou" na amizade entre ambas, quando descobriu o caso que a colega tivera com o também ator Jimmy Bennet, então com 17 anos, menor sob a leis da Califórnia.

O aleagdao assédio sexual de Asia sobre o jovem ator foi revelado pelo jornal The New York Times. A atriz que ajudara muitas vítimas de assédio sexual a denunciar os casos vividos via-se assim também apontada a dedo. Reagiu, assumiu ter pago e comprado o silêncio de Jimmy Bennet, mas negou qualquer relacionamento com ele. Até que surgiram fotos dos dois, entre lençóis.

Fotos nu desde os 12 anos

Entretanto, Jimmy Bennet já falou sobre o que se passou e assumiu ter sido vítima de abuso sexual, que Asia Argento continua a negar. Mas, sem convencer, de todo, a amiga, também atriz e ativista Rose McGowan, até porque foi a namorada desta última quem lhe mostrou mensagens comprometedoras.

A modelo andrógina Rain Dove, companheira de Rose McGowan, garantiu-lhe mesmo que Asia Argento recebia fotos de Jimmy Bennet nu, desde quando este tinha apenas 12 anos. E nunca o censurou ou lhe disse para parar.

Segundo o comunicado de Rose, foi a sua namorada Rain Dove que entregou mensagens comprometedoras trocadas com Asia à polícia. Que pouco depois chegaram à imprensa.

A parte difícil foi perceber de repente que tudo o que defendia o movimento #MeToo estava em risco. É triste perder uma amiga. Mas mais triste é o que aconteceu com Jimmy Bennett", escreveu McGowan no comunicado.

Rose McGowan considera estar em causa, após o que terá feito Asia Argento, "o tipo de coisa contra a qual lutei juntamente com tantos outros".

Este caso serviu-me como uma cura extrema de humildade [...] Como vítima, os meus sentimentos de raiva são justificados. Mas sei que os acusados ​​são amigos, pais e parentes de outras pessoas [...] Devemos encontrar uma maneira melhor de equilibrar o apoio às vítimas com o direito a um processo justo dos acusados", escreve Rose McGown no comunicado.

A declaração da atriz, que também nasceu em Itália, termina dirigindo-se diretamente à antiga parceira: "Asia, eras minha amiga. Gostava de ti. Deste e arriscaste muito na defesa do movimento #MeToo. Espero realmente que encontres o teu caminho neste processo alcançando a reabilitação e as melhoras. Toda a gente pode ser melhor, espero que também o possas. Faz o que está certo. Sê honesta. Sê justa. Deixa que a justiça avance. Sê a pessoa que gostarias que Harvey Weinstein tivesse sido".