Depois da filha do ator ter tentado processar a marca, alegando falta de segurança no modelo que Paul Walker conduzia no dia em que morreu, em novembro de 2013, é a vez do pai da estrela iniciar um processo judicial contra a Porsche.

O processo surge uma semana depois da empresa ter respondido à acusação de Meadow Walker, que processou a Porsche por homicídio por negligência. A marca declarou, em comunicado, que não tinha qualquer culpa na morte do ator e que Paul Walker tinha consciência dos “riscos e perigos” envolvidos, ao conduzir um Carrera GT.

Contudo, o advogado da filha, Jeff Milam, já veio a público comentar a defesa da Porsche.
 

“Se a Porsche tivesse desenhado o carro para incluir sistemas de segurança, o Paul teria sobrevivido, estaria a filmar o ‘Velocidade Furiosa 8’ e Meadow Walker teria o pai que adorava”.


Na sequência do último processo, o pai do ator instaurou uma nova acusação contra o modelo Carrera GT.

Os investigadores apuraram que a principal causa do acidente terá sido a velocidade excessiva a que o carro circulava. As autoridades excluíram a possibilidade do acidente ter sido causado pela influência de álcool ou drogas.