logotipo tvi24

Estúdio de «The Hobbit» foi atingido por incêndio

Portsmouth Miniatures Studio já foi utilizado para a rodagem de «O Senhor dos Anéis»

Por: Redacção / IGP    |   2010-10-01 12:28

Um estúdio que ia ser usado para as filmagens de «The Hobbit» foi atingido por um incêndio de grandes proporções, esta sexta-feira na Nova Zelândia. Uma porta-voz do Portsmouth Miniatures Studio disse ao site da revista «The Hollywood Reporter» que ninguém ficou ferido neste incidente e que nenhum filme se encontrava em produção naquele estúdio.

Não foram, no entanto, reveladas mais informações nem sobre as causas, nem sobre a extensão do incêndio, que se prolongou durante três horas.

O Portsmouth Miniatures Studio já tinha sido utilizado para a rodagem de filmes, como a trilogia «O Senhor dos Anéis» ou o remake de «King Kong», de 2005. Matthew Dravitzki, representante da produtora de Peter Jackson, a Wingnut Films, afirmou que o estúdio também ia ser utilizado para a rodagem de «The Hobbit».

O porta-voz considera que este incêndio vai ser muito prejudicial, visto que aquele era um dos únicos estúdios do mundo a filmar, com qualidade, cenários em miniatura.

Este é apenas um dos muitos problemas que têm afectado a produção de «The Hobbit»: a película tem sofrido vários adiamentos, já trocou de realizador (de Guillermo del Toro para Peter Jackson) e, neste momento, Jackson pondera filmar a longa-metragem no Leste Europeu, devido ao boicote de um sindicato na Nova Zelândia.

Partilhar
EM BAIXO: Peter Jackson
Peter Jackson

Ovar volta a ter uma sala de cinema
Não tinha desde 2012
Este Ovo quer quebrar mentalidades
Novo projeto com Manel Cruz, ex-Ornatos Violeta
Ator de «Breaking Bad» convida adolescente para o baile
Veja o vídeo que mostra o professor «bad guy» a fazer de bonzinho e a ajudar um rapaz de 17 anos a convidar uma colega para o baile de finalistas
EM MANCHETE
Tabaco, álcool, sal e açucar na mira do Governo
CIP aconselha «sensatez» ao executivo quanto à intenção da criar taxas em produtos considerados nocivos para a saúde
Ministério da Economia corta 170 milhões para o bolo dos 1400 ME
Miró: «Não estamos a vender património cultural»