Um dos fundadores e diretores do Festival Internacional de Cinema do Porto Fantasporto Mário Dorminsky encontra-se hospitalizado na sequência de um acidente vascular cerebral (AVC), estando em situação “estável e bem disposto”, informou hoje a organização.

“Pela primeira vez o Fantasporto, que se iniciou segunda-feira na sua fase pré-competitiva, arrancou sem Mário Dorminsky um dos seus fundadores e codirector, que se encontra hospitalizado na sequência de um ligeiro acidente vascular cerebral”, pode ler-se no comunicado divulgado esta tarde.

De acordo com a mesma informação, Dorminsky “mantém-se internado numa unidade hospitalar do Porto, em observação, enquanto efetua uma série de exames indispensáveis nestes casos, antes de qualquer decisão sobre uma eventual alta hospitalar”.

O festival, que arrancou na segunda-feira em modo “pré-Fantas” e tem o início da secção competitiva na sexta-feira, “prossegue, tal como previsto, com a equipa habitual sob a direção de Beatriz Pacheco Pereira, codirectora e também fundadora do festival”.

“A direção do Fantasporto espera que Mário Dorminsky se possa reincorporar na equipa do festival ainda durante a sua realização, caso os médicos o venham a autorizar”, acrescentou o comunicado.

A 36.ª edição do Fantasporto arrancou na segunda-feira com o início da retrospetiva dedicada ao realizador macedónio Milcho Manchevski e com a “primeira das muitas produções latinoamericanas presentes este ano no festival”, segundo a organização.

Na sexta-feira, inicia-se a secção competitiva do Fantasporto, com a antestreia mundial de “Gelo”, de Luís e Gonçalo Galvão Telles, sobre Catarina, “uma jovem nascida do ADN retirado da idade do gelo, que cresce num palácio isolado, onde é submetida a vários testes, até que reencontra o passado”.