O realizador britânico Lewis Gilbert morreu na última sexta-feira, no Mónaco, aos 97 anos. A informação foi confirmada esta terça-feira à BBC pelo filho, John Gilbert, que avançou que o pai “morreu em paz, durante o sono”.

Ele era um homem maravilhoso, com um sentido de humor extraordinário. Era um grande trabalhador. Trabalhámos em muitos filmes juntos”, disse o filho, em declarações à BBC.

Nascido em Londres em 1920, Lewis Gilbert foi ator antes de passar para a parte de trás das câmaras. Ficou conhecido pela realização de vários filmes de guerra, incluindo “Vontade Indomável” (1956) e “Uma Vida por um Silêncio” (1958).

Realizou o primeiro filme de James Bom em 1967, com “007 – Só se Vive Duas Vezes”, protagonizado por Sean Connery. Dez anos depois, dirigiu “007-O Espião Irresistível”, com Roger Moore. Ainda com Moore a encabeçar o elenco, realizou, em 1971, “007-Aventura no Espaço”.

Do seu portfolio, fazem parte ainda filmes como “Alfie” (1966), pelo qual esteve nomeado para os Óscares como melhor realizador, “A Irmandade do Mal” (1995) e “A Educação de Rita” (1983). 

Lewis Gilbert vivia no Mónaco desde 1975. Sofria de demência há mais de uma década.