Pode marcar na agenda: 17 de novembro, na cidade de Los Angeles, volta a ser leiloado um dos vestidos que marcaram a história dos Estados Unidos. Não propriamente o azul que Monica Lewinsky guardou e ia custando a destituição ao presidente Bill Clinton, mas sim o justíssimo, cor de pele, que a diva do cinema Marilyn Monroe usou no 45.º aniversário de John Fitzgerald Kennedy.

Entre os dois, teria já havido um caso. Segundo alguns dos biógrafos de ambos, pelo menos o que os norte-americanos chamam de "one night stand", quando ambos ficaram hospedados em casa do ator e cantor Bing Crosby, em Palm Springs. Talvez apenas mais um caso de infedilidade à maneira americana.

A 19 de Maio de 1962, no Madison Square Garden, em Nova Iorque, uma mega festa celebrava o aniversário do 35.º presidente dos Estados Unidos. Marilyn iria aparecer. Sensual e deslumbrante, como sempre. O traje criado para a ocasião pelo estilista Jean Louis era feito de seda e milhares de lantejoulas. Desenhava-lhe com tanto rigor as formas do corpo que teve de lhe ser cosido já depois de vestido.

O momento do "Parabéns a você" ficou imortalizado para a história do século XX. Marilyn morreu nem três meses depois. Kennedy foi assassinado em Dallas, no ano seguinte.

"Pele e pérolas"

Ela chamou ao vestido pele e pérolas", relembra Darren Julien, presidente da leiloeira que vai licitar o traje. Que, como diz o mesmo à agência Associated Press, é uma relíquia "não apenas de Hollywood, mas histórica e política"

O leiloeiro espera arrecadar entre dois a três milhões de dólares com a venda do vestido de Marilyn Monroe. São entre 1,8 milhões e 2,7 milhões de euros. Até porque, há dezassete anos, quando foi leiloado pela primeira vez, valeu mais de um milhão de euros.

Na altura, quem arrebatou o vestido foi o investidor e especulador bolsista Martin Zweig. Conhecido pelo gosto pelo life style e por ser dado a excentricidades, guardou-o num manequim, numa caixa climatizada, na sua penthouse no Pierre Hotel, em Nova Iorque.

Está, por isso, imaculado, segundo afiançam os novos leiloeiros.

Vestido "on tour"

Antes de ir a leilão, o vestido vai ser mostrado noutras cidades. Entre 25 de setembro e 22 de outubro, estará em Nova Jérsea, integrando uma exposição sobre Marilyn Monroe, que inclui alguns dos seus poemas manuscritos e aguarelas. Depois, até 6 de novembro, estará fora dos Estados Unidos pela primeira vez, em Newbridge, na Irlanda.

Finda a digressão, o vestido será leiloado como a peça maior de um total de 1300 objetos de Marilyn Monroe, que serão vendidos durante três dias, grande parte dos quais foram deixados pela atriz ao seu professor de arte dramática Lee Strasberg

Será o último leilão deste género. Quando morreu, Marilyn Monroe deixou tudo a Lee Strasberg. Temos o final do seu espólio, no que está relacionado com ela", sustenta o leiloeiro Darren Julien.