A partir das cartas enviadas de Angola pelo escritor António Lobo Antunes, então militar na Guerra Colonial, o realizador Ivo M. Ferreira rodou o filme "Cartas de Guerra". É o candidato de Portugal a uma nomeação para os Óscares, atribuídos pela academia norte-americana de Hollywood e também para os prémios Goya, em Espanha, na categoria de melhor filme ibero-americano.

"Cartas da Guerra" teve estreia mundial em fevereiro, em Berlim, e chegou aos cinemas portugueses a 1 de setembro. Segundo a produtora, já foi visto por 12 mil pessoas.

A partir da correspondência entre o escritor António Lobos Antunes e a primeira mulher, Maria José, quando esteve destacado nos anos 1970 em Angola, Ivo M. Ferreira deixa um retrato sobre "a maior tragédia portuguesa do século XX". Conta uma história de amor que é também um retrato da Guerra Colonial.

"Guerra estúpida e injusta"

Apesar de Ivo M. Ferreira ter feito pesquisa e investigação, o mote para o filme foi o livro "D'este viver aqui neste papel descripto", com as cartas organizadas pelas filhas de Lobo Antunes e da mulher. Médico de formação, na altura Lobo Antunes ainda não tinha trinta anos nem tinha publicado qualquer romance.

"Cartas da guerra" foi rodado em Portugal e em Angola, com mais de 40 atores, entre os quais Miguel Nunes, no papel de António, e Margarida Vila-Nova, que representa Maria José e é a leitora das cartas de amor, fio condutor de toda a narrativa do filme.

Esta é a minha visão, pelos vistos bate certo com a de outras pessoas. Eu estou a falar de uma tragédia humana, dos portugueses, dos angolanos. Estou a falar destas vítimas que foram empurradas brutalmente para uma guerra estúpida e injusta e completamente fora de época", afirmou em declarações à Agência LUSA, o realizador.

Além dos Óscares e dos Goya, "Cartas da Guerra" concorre ainda uma nomeação para os prémios da Academia Europeia de Cinema e, em 2017, terá estreia comercial garantida em vários países, entre os quais França, Brasil e Holanda.

Também no próximo ano, a cerimónia dos Goya, os prémios da Academia de Cinema de Espanha, decorrerá a 4 de fevereiro, em Madrid. Os Óscares estão marcados para 26 de fevereiro, em Los Angeles.