A rede de televisão Televisa anunciou que “cortou ligações” com o produtor Gustavo Loza, poucas horas depois de a atriz mexicana Karla Souza ter revelado que foi violada no início da carreira por um cineasta.

A atriz não revelou a identidade do agressor, mas a Televisa, a maior cadeia de televisão do México, ligou Gustavo Loza ao caso com base numa “investigação preliminar” conduzida pela empresa.

Gustavo Loza nega qualquer envolvimento e lançou um apelo à atriz para que revele a verdadeira identidade do agressor, naquele que é, até agora, o caso mais destacado de má conduta sexual na indústria mexicana de entretenimento.

A rede Televisa disse em comunicado que os projetos da Loza foram cancelados. Ele não era um empregado da empresa, mas produziu diversas séries de sucesso para a rede.

A empresa diz que, "depois de uma investigação preliminar, decidiu interromper imediatamente todas as relações com Gustavo Loza", acrescentando que "a Televisa não tolerará uma conduta como a que foi descrita" pela atriz, uma das mais poulares do México.

Na sua conta no Twitter, Loza rejeitou qualquer envolvimento no caso. "Eu nego todas as acusações contra mim", disse o produtor independente, que voltou a pedir à atriz que revele a verdadeira identidade do agressor.