Nicolas Cage devolveu um crânio de dinossauro com mais de 67 milhões de anos, que tinha sido roubado, às autoridades da Mongólia, depois de o ter comprado num leilão. As ossadas tinham sido traficadas para os EUA por um paleontólogo, acusado de ser “responsável pelo mercado negro de fósseis pré-históricos”.

Este podia ser o enredo do mais recente filme do ator norte-americano, mas é a realidade. Nicolas Cage comprou o crânio de dinossauro em 2007, numa galeria em Beverly Hills, nos EUA.

Para ficar com os ossos de Tarbosaurus Bataar – uma espécie semelhante, mas mais pequena do que o T. Rex –, a estrela de Hollywood teve de disputá-la com outro ator conhecido: Leonardo DiCaprio. Mas o protagonista de “Cidade dos Anjos” conseguiu arrebatar o crânio no leilão por 276 mil dólares.

Durante vários anos, o ator manteve o objeto em sua posse sem levantar qualquer questão, mas, segundo o The Verge, Nicolas Cage terá sido informado que as ossadas podiam ter sido roubadas e, por isto, entregou-as voluntariamente às autoridades norte-americanas. Cabe agora à polícia dos EUA devolver os restos do dinossauro ao país de origem, a Mongólia.

Pensa-se que o fóssil tenha sido roubado e traficado por Erick Prokopi, um homem que foi preso por causa deste tipo de crimes, em 2014. O traficante foi preso no país asiático, que criminalizou a remoção de fósseis do seu território em 1924.