A temporada dos prémios do cinema já vai longa e, a esta altura, já se sabe quais são os filmes do ano passado que mais se têm destacado.

Até aqui, já houve Globos de Ouro, prémios da crítica, prémios do Sindicato de Atores, prémios do Sindicato de Produtores. E dois filmes parecem dividir o estatuto de grandes favoritos: "Três Cartazes à Beira da Estrada" (Martin McDonagh) e "A Forma da Água" (Guillermo del Toro).

Esta terça-feira, a Academia divulgou os nomeados para os Óscares, cuja cerimónia se realiza a 4 de março, e confirmou isto mesmo. “A Forma da Água” é a obra que lidera a lista de nomeados, constando em 13 categorias, enquanto "Dunkirk" tem oito nomeações e "Três Cartazes à Beira da Estrada" sete. 

Conheça os filmes favoritos desta edição:

"A Forma da Água" (Guillermo del Toro)

É o grande favorito e lidera a corrida às estatuetas douradas com 13 nomeações. “A Forma da Água” foi eleito o Melhor Filme pela crítica norte-americana nos Critic’s Choice Awards, recebeu o prémio Darryl F. Zanuck, dos produtores de Hollywood e o Globo de Ouro de Melhor Realizador. Antes, já tinha conquistado o Leão de Ouro no Festival de Cinema de Veneza.

"A Forma da Água" é uma fábula realizada por um dos grandes nomes do cinema fantástico da atualidade, o mexicano Guillermo del Toro ("O Labirinto do Fauno"). O filme leva-nos até à década de 60, dominada pela Guerra Fria, e a um laboratório secreto do governo norte-americano. Ali, uma das funcionárias, a muda Elisa (Sally Hawkins), descobre uma criatura marinha, que é uma das muitas experiências feitas no local, e com quem vai protagonizar uma história de amor.

"Três Cartazes à Beira da Estrada" (Martin McDonagh)

Venceu o Globo de Ouro para Melhor Filme e o prémio Screen Actors Guild para Melhor Elenco (que nesta cerimónia é o prémio mais importante, equivalente ao de Melhor Filme).

Realizado por Martin McDonagh (realizador de "Em Bruges"), "Três Cartazes à Beira da Estrada" é um drama e, ao mesmo tempo, uma comédia negra, que vive muito das soberbas interpretações dos seus atores. O destaque vai para Francis McDormand e Sam Rockwell, também eles favoritos nas categorias de Melhor Atriz e de Melhor Ator Secundário respetivamente.

O filme conta a história de Mildred Hayes (McDormand), uma mãe inconformada com o homicídio brutal da filha adolescente, que decide alugar três cartazes à entrada de Ebbing, estado do Missuri, para chamar a atenção da polícia local. Nestes cartazes, Mildred questiona o chefe da polícia William Willoughby (Woody Harrelson) sobre a investigação ao caso, nomeadamente sobre a ausência de detidos. 

"Dunkirk" (Christopher Nolan)

Muitos críticos têm apontado "Dunkirk" como o melhor filme de Christopher Nolan ("Inception", "Interstellar", "Dark Knight trilogy"). Trata-se de um épico de guerra que retrata a Batalha de Dunquerque, em França, durante a Segunda Guerra Mundial. 

O filme, que conta com uma cinematografia e efeitos visuais muito elogiados, é o segundo com mais nomeações (oito).

"Chama-me Pelo Teu Nome" (Luca Guadagnino)

Tem sido presença constante nas nomeações dos prémios desta temporada e é já considerado um dos filmes a não perder. “Chama-me Pelo Teu Nome”, do italiano Luca Guadagnino, é uma adaptação do romance homónimo de André Aciman e segue a linha dos últimos filmes do seu realizador ("Mergulho Profundo", "Eu Sou o Amor") com uma história sobre o amor e sobre o desejo. Os protagonistas são Elio (Timothée Chalamet), um adolescente de 17 anos, e Oliver ( Armie Hammer ), um jovem de 24 anos. O filme, que se desenrola nos anos 80, segue o relacionamento entre ambos, com as paisagens solarengas do norte de Itália como pano de fundo. É uma ode ao amor, mas também um exercício de beleza estética como Guadagnino vem habituando o espetador. Um filme em que se destaca a interpretação de Timothée Chalamet, que tem sido nomeado para os prémios de Melhor Ator.

"The Post" (Steven Spielberg)

Este thriller político conta com uma elenco de luxo, liderado por Meryl Streep e Tom Hanks, e um realizador que dispensa apresentações, Steven Spielberg. A história é baseada em factos verídicos: quando o governo de Richard Nixon tentou impedir o jornal "The Washington Post" de publicar documentos que demonstravam o envolvimento dos Estados Unidos na Guerra do Vietname. Um escândalo que ficou conhecido como "Pentagon Papers".

"Lady Bird" (Greta Gerwig)

Lady Bird é a estreia da atriz Greta Gerwig como realizadora e tem sido apontado como uma boa  surpresa pela crítica norte-americana. Saoirse Ronan é Christine ou “Lady Bird”, como faz questão de se chamar a si própria. Esta adolescente, de 17 anos, vive em Sacramento, mas sonha entrar numa faculdade em Nova Iorque. É um filme sobre a adolescência e as suas descobertas e também sobre a transição para a fase adulta, mas de uma forma tão leve quanto real, desprovida de artefactos e carregada de humor.